Empresas com propósito têm colaboradores mais engajados

Historicamente as grandes empresas sempre se preocuparam com o aumento de valor para os acionistas. Nas duas últimas décadas, entretanto, a maioria das corporações ajustou o foco da destinação do valor gerado. Agora, a preocupação das empresas vai além do lucro. Elas também buscam gerar valor para os colaboradores e para a sociedade.

Por Marco Morsch para Portal Administradores

Como se tornar uma empresa com propósito

Muitas empresas não conseguem fazer os colaboradores cumprirem sua missão no dia a dia. Pior: vários colaboradores desconhecem a missão da empresa.

O propósito deve fazer parte da experiência diária da empresa. Ele deve se expressar desde o comportamento dos líderes até a forma de agir dos colaboradores, “saltando aos olhos” de quem se relaciona com a empresa.

Para consolidar uma organização com propósito de forma consistente, além de determinados princípios básicos, segundo nossa experiência, os administradores devem observar os seguintes passos:

1. Descoberta e articulação do propósito

Por meio da conexão com os stakeholders, descobrir as crenças e valores dos fundadores da empresa, expectativas dos colaboradores, insights dos consumidores e necessidades da sociedade. Perguntas-chave: “Quem somos?”; “Para que existimos?”; “Que soluções vamos prover?”; “Qual o nosso significado para o mundo?”;

2. Alinhamento

Uma vez definida a diretriz organizacional, incluindo o propósito, missão e valores, deve-se alinhar todos os níveis gerenciais por meio de uma forte ação de comunicação e sensibilização. Perguntas-chave: “Como comunicar e sensibilizar?”; “Como engajar?”; “Como ressoar significado nos diversos níveis?”

3. Aderência

Para que o propósito passe a integrar as atitudes e comportamentos diários de todas as pessoas que integram a empresa, é necessário impregnar fortemente a cultura organizacional. Todos os produtos e serviços, sistemas e processos organizacionais devem estar orientados para o propósito. A aderência é obtida por meio das técnicas e ferramentas do gerenciamento da mudança da cultura organizacional, como por exemplo, a comunicação interna e a liderança pelo exemplo. Perguntas-chave: “Qual o estado desejado?”; “Que atitudes e comportamentos são esperados?”; “Como vamos tangibilizar o propósito nas relações?”

4. Sustentação

O propósito só será sustentável se a sua prática estiver vivamente permeando todas as decisões e relacionamentos da empresa. Transformar propósito em relacionamentos é uma funçao de Gestão de Pessoas. A área de RH tem papel determinante na perpetuação do propósito por meio da implantação de práticas de educação e treinamento, avaliação de desempenho e promoção alinhados com o propósito e seus objetivos específicos. Perguntas-chave: “Como explicitar o propósito?”; “Quais competências precisamos desenvolver para exceder em nosso propósito?”; “Como inovar em nosso propósito?”

Sem tornar o propósito o foco essencial da existência da empresa, as pessoas não vão internalizá-lo. O propósito precisa ser o ethos da organização. Uma atitude nobre, geral e convergente que todo mundo dentro da organização tem como uma responsabilidade de defender.

Embora maior em grandes empresas, esse movimento tem inspirado também médias e pequenas organizações em todo mundo. Bem, isso é assunto para outro artigo.

Conteúdo completo pode ser acessado pelo link:
https://administradores.com.br/artigos/empresas-com-proposito-tem-colaboradores-mais-engajados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *